Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.
Couve-Flor
Alimentos

Couve-Flor

A couve-flor é um hortícola da mesma família dos brócolos, do repolho e das couves. Tem uma estrutura que muitas vezes é comparada a uma árvore em miniatura e por isso pode ser interessante para incentivar os mais novos a consumir este hortícola. A sua textura também é interessante, uma vez que quando se apresenta no seu estado natural é mais consistente e quando é cozinhada e está pronta a consumir, fica com uma textura mais aveludada.

Em meados do século XVI ganhou popularidade em França e posteriormente começou a ser cultivada no norte da Europa e nas Ilhas Britânicas. Atualmente, os Estados Unidos da América, a França, Itália, Índia e China são os países que produzem maiores quantidades de couve-flor.

Apesar do seu aspeto mais conhecido e da sua cor branca, a couve-flor pode apresentar outras cores (verde ou lilás). Contudo, a sua cor branca deve-se ao facto de não conseguir produzir clorofila durante o seu crescimento, pois durante esse período está envolta por folhas verdes que impedem o seu contacto com a luz solar.

Informação Nutricional
g = grama; mg = miligrama e µg = micrograma. Parte Edível = diz respeito ao peso do alimento que é consumido depois de rejeitados todos os desperdícios. Fonte: Tabela da Composição de Alimentos – Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge.
Composição nutricional
(100g de parte edível)
Couve-flor Crua Couve-flor Cozida
Energia (kcal) 34 21
Água (g) 89,9 92
Proteínas (g) 3,7 1,6
Lípidos (g) 0,2 0,2
Hidratos de Carbono (g) 3,3 2,3
Fibra (g) 1,9 1,8
Niacina (mg) 0,6 0,4
Vitamina B6 (mg) 0,28 0,17
Vitamina C (mg) 73 45
Potássio (mg) 380 180
Sódio (mg) 14 110
Magnésio (mg) 22 12
Fósforo (mg) 34 29
Ferro (mg) 0,5 0,4
Vantagens e desvantagens

Estudos mostram que existe uma certa ligação entre o consumo de couve-flor e a prevenção de vários tipos de cancro, como por exemplo o cancro da bexiga, cancro da mama, cancro do cólon, da próstata e dos ovários.

Esta associação pode ser feita uma vez que os nutrientes fornecidos pela couve-flor parecem ter certas propriedades que previnem o desenvolvimento deste tipo de patologia:

- Propriedade de desintoxicação: diariamente estamos expostos a toxinas indesejáveis, quer seja através do nosso estilo de vida ou escolhas alimentares, colocando o nosso organismo em maior risco. Os antioxidantes e os fitonutrientes que podem ser encontrados na couve-flor podem auxiliar a ativação e a regulação de enzimas responsáveis pela desintoxicação do organismo, protegendo-o destas toxinas.

- Propriedades antioxidantes: sendo uma excelente fonte de vitamina C e de magnésio, a couve-flor fornece antioxidantes importantes ao nosso organismo, ajudando a diminuir o risco de stress oxidativo das nossas células e consequentemente o risco de cancro.

- Propriedades anti-inflamatórias: ao conter quantidades avantajadas de vitamina K, a couve-flor possui propriedades anti-inflamatórias. A vitamina K atua como reguladora da resposta inflamatória, podendo prevenir o desenvolvimento de cancro e de doenças cardiovasculares.

Para além destas propriedades, a couve-flor contém boas quantidades de fibra alimentar, fornecendo assim, benefícios a nível do sistema digestivo.

Como comprar e conservar

Ao comprar couve-flor, procura escolher a mais branca e a que não apresente quaisquer vestígios de terra ou sujidade. A couve-flor deve ser igualmente compacta e os seus ramos não devem estar separados uns dos outros. Também devem ser evitadas aquelas que apresentem flores entre os ramos esbranquiçados.

A couve-flor que estiver mais protegida pelas folhas verdes, que normalmente a envolvem, serão as mais frescas e mais limpas, sendo assim as que deves preferir. Uma vez que o seu tamanho não está relacionado com a sua qualidade, podes escolher aquela que se adapta melhor às tuas necessidades nutricionais e às quantidades que pretendes cozinhar.

Relativamente aos métodos de conservação deste vegetal, devem ser escolhidos conforme a validade que lhe pretendemos dar. Podemos consumi-la no próprio dia e assim guardá-la à temperatura ambiente, mas também podemos mantê-la no frigorífico, por uma semana, envolta em papel ou por um saco de plástico, até à data que a pretendemos utilizar. O mesmo não deve ser feito se esta for adquirida pré-cortada, pois assim irá perder toda a sua frescura ao final de um ou dois dias.

 

Receitas Relacionadas

também

Alimentos

A fruta do dragão, também conhecida como pitaia, é tão interessante por dentro como é por fora. É…

Alimentos

É um item básico da despensa e da gastronomia portuguesa também. No entanto, se olharmos para as…

Alimentos

Sabes qual é a diferença entre o Abacaxi e o Ananás? Descobre as diferenças e aprende a distinguir…