Saboreia a Vida | Nestlé
Saboreia a Vida | Nestlé

SOCIAL

OVO

O ovo de galinha constitui um dos alimentos mais abundantes da dieta humana, no entanto o seu consumo foi insignificante até ao século V a.C.. Até então, as pessoas alimentavam-se de ovos que encontravam nos ninhos de aves selvagens. A domesticação das galinhas durante o período romano tornou possível usufruir deste alimento em qualquer altura e, desta forma, os ovos converteram-se num ingrediente essencial na cozinha.
 

INFORMAÇÃO NUTRICIONAL

Os ovos, apesar de serem um alimento pouco calórico, apresentam uma elevada densidade nutricional. São extremamente ricos em proteínas completas e de elevado valor biológico (que contém todos os aminoácidos essenciais ao homem, para que este possa sintetizar as suas próprias proteínas). É também uma excelente fonte de colina e outras vitaminas do complexo B, tais como vitamina B2, B6, ácido fólico e B12.

Na gema do ovo, encontramos teores significativos de vitamina A, vitamina D e E.

Apesar da gema ser muito rica em colesterol, sabe-se que o organismo não absorve grande parte desse colesterol (a principal causa dos elevados níveis de colesterol no sangue são as gorduras saturadas).

Tabela de composição nutricional (100 g de Parte Edível)

 

Gema

Clara

Ovo

Cozido

Ovo

Estrelado

Energia (kcal)

342

47

149

190

Água (g)

51

87,4

75,3

70,4

Proteínas (g)

16

11

13,0

13,4

Lípidos (g)

30,9

0,3

10,8

15,1

Saturados (g)

8,3

0,1

2,7

3,4

-Monoinsaturados (g)

11,7

0,1

3,9

7,0

-Polinsaturados (g)

4,6

0.0

2,1

2,5

-Colesterol (mg)

1280

0

408

433

Hidratos de carbono (g)

0

0

0

0

Vitamina A (?g)

500

0

170

180

Vitamina D (?g)

4,9

0

1,7

1,8

Vitamina B2 (mg)

0,65

0,33

0,35

0,33

Vitamina B6 (mg)

0,80

0,02

0,36

0,27

Ácido fólico (?g)

130

14

40

42

Vitamina B12 (mg)

2,8

0,1

0,50

0,80

Sódio (mg)

48

193

0,90

1,10

Fósforo (mg)

480

13

185

176

Ferro (mg)

5,5

0,1

2,1

2,0


mg = miligramas; ?g = microgramas. Parte Edível = diz respeito ao peso do alimento que é consumido depois de rejeitados todos os desperdícios. Vitamina A = como equivalentes de retinol.
Fonte: Porto A, Oliveira L. Tabela da Composição de Alimentos. Lisboa: Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge. 2006,pág. 22-23.


VANTAGENS E DESVANTAGENS

Durante a infância e a adolescência, fases importantes de crescimento, o consumo adequado de ovos traz inúmeros benefícios para o organismo, contribuindo de forma significativa para cobrir as necessidades nutritivas de crianças e jovens em desenvolvimento contínuo. O seu consumo não apresenta grandes limitações nas primeiras décadas de vida e a sua restrição injustificada pode conduzir a desequilíbrios nutricionais.

Em idades mais avançadas, os níveis elevados de colesterol no sangue são, muitas vezes, a principal causa de abandono do consumo de ovo. É de referir que o colesterol, no ovo, se encontra na gema. Ainda de salientar que os níveis de colesterol plasmático aumentam principalmente pelo consumo de gorduras saturadas como manteiga, carne vermelha, queijo gordo, etc.

O ovo é fácil de mastigar e, pelo seu valor nutritivo, pode melhorar significativamente o estado nutricional e de saúde de muitos idosos, favorecendo ainda, a sua função mental.

É rico em nutrientes antioxidantes, como o selénio, o zinco e as vitaminas A e E, que ajudam a prevenir os processos degenerativos (doença cardiovascular, cancro, diabetes, etc). Por outro lado, contém vitamina D, que o organismo sintetiza através do sol, mas que em pessoas doentes e não expostas à luz natural, torna-se essencial.
O ovo é dos alimentos com maior potencial alergénico, sobretudo no primeiro ano de vida, pelo seu elevado teor em albumina (principal proteína da clara). Em caso de alergia a este alimento, o tratamento obriga a excluir totalmente da alimentação o ovo, seus derivados ou componentes e todos os alimentos que os contenham como ingrediente.
Outro dos seus inconvenientes é a contaminação bacteriana a que estão expostos (principalmente a salmonela). Os cuidados de higiene adequados e o calor suficiente durante a preparação culinária, são formas de evitar uma toxinfecção alimentar.


COMO COMPRAR E CONSERVAR

Nunca se devem adquirir ovos rachados ou sujos.
Embora não necessitem de precauções especiais de conservação, os ovos podem manter-se no frigorífico durante 7 a 10 dias, separados de outros alimentos como peixe, carne e frutas (para não absorverem odores).

Recomenda-se que sejam conservados com a extremidade pontiaguda voltada para baixo, para manter a gema na posição central. Além disso não devem ser lavados, a não ser imediatamente antes da utilização. A lavagem destrói a cutícula que os protege de microorganismos, como a salmonela.
Podem também manter-se à temperatura ambiente, exceto em climas quentes.

PARTILHAR 21 LIKES

Sugestões