Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.
Marisco e Crustáceos
Alimentos

Marisco e Crustáceos

Com a chegada do verão, o marisco começa a ganhar espaço nas refeições dos portugueses. Dentro deste grupo encontramos dois tipos de animais marinhos:

  • Moluscos (mexilhão, amêijoa, conquilha) – animais de corpo mole, cobertos por uma concha;
  • Crustáceos (sapateira, camarão, caranguejo) – estes animais têm uma carapaça que renovam várias vezes durante a vida.
Informação Nutricional
g = grama; mg = miligrama e µg = micrograma. Parte Edível = diz respeito ao peso do alimento que é consumido depois de rejeitados todos os desperdícios. Fonte: Tabela da Composição de Alimentos – Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge.
Composição nutricional
(100g de parte edível)
Amêijoa Crua Mexilhão Cru Camarão Cru
Energia (kcal) 65 70 77
Água (g) 81,1 82,5 79,2
Proteínas (g) 11,7 12,1 17,6
Lípidos (g) 0,9 1,5 0,6
Colesterol (mg) 44 40 154
Hidratos de Carbono (g) 2,6 2 0,3
Vitamina B12 (µg) 37 19 2,1
Ferro (mg) 8,5 3,5 1,8
Cálcio (mg) 51 56 87
Vantagens e desvantagens

Há muito que se atribuiu uma conotação negativa ao marisco por ser rico em colesterol. É sabido que as gorduras responsáveis pelo aumento do colesterol são, principalmente, as gorduras trans. Estas estão presentes no marisco em quantidades reduzidas, sendo de realçar que a maior parte da gordura presente é do tipo polinsaturado, ómega­3, benéfica para a saúde cardiovascular.

O marisco é ainda uma fonte importante de proteínas de elevado valor biológico. São ricos em ferro, mineral muito importante para a formação dos glóbulos vermelhos, zinco, que reforça o nosso sistema imunitário e selénio, um poderoso antioxidante.

O marisco é uma boa fonte de vitamina B12, importante para a formação de células sanguíneas e integridade das células nervosas. Um dos moluscos que melhor contribui para o valor diário recomendado desta vitamina são as amêijoas.

Estes animais não são aconselhados a quem sofra de gota, uma vez que são fonte de purinas o que pode levar a um aumento do ácido úrico no sangue, agravando o problema.

Como comprar e conservar

É preciso exigir a maior frescura quando se compram estes alimentos.

  • Certifica-te que os mexilhões, ostras, berbigões e amêijoas estão bem fechados antes de os cozinhar. Após estarem cozinhados, todas as conchas devem estar abertas e deves rejeitar as que estiverem fechadas;
  • Não leves para casa marisco apanhado na praia, a não ser que tenhas a certeza que não é uma zona poluída;
  • No momento da escolha e compra de crustáceos confere se têm um aspeto brilhante, olhos negros salientes e cheiro suave a maresia.

Os crustáceos são altamente perecíveis e, quando deteriorados, podem levar a intoxicações alimentares graves.  Guarda no frigorífico durante dois dias no máximo ou congela logo após a compra. Descongela no frigorífico ou diretamente na panela onde os vais cozinhar, embora esta opção prejudique o seu sabor.

Como utilizar

A forma de preparação do marisco pode prejudicar algumas das suas vantagens.

Evita usar muita gordura ou sal que irão tornar este alimento interessante num alimento de risco. O marisco, por vir do mar, tem algum sódio na sua composição.

 

Receitas Relacionadas

também

Alimentos

A fruta do dragão, também conhecida como pitaia, é tão interessante por dentro como é por fora. É…

Alimentos

É um item básico da despensa e da gastronomia portuguesa também. No entanto, se olharmos para as…

Alimentos

Sabes qual é a diferença entre o Abacaxi e o Ananás? Descobre as diferenças e aprende a distinguir…