Presente enfeitado com uma estrela e uma rodela de laranja
Sustentabilidade

5 dicas sustentáveis que ajudam o ambiente e a carteira no Natal

Ah, o Natal… A celebração que nos conquista com presentes, mesas recheadas e abraços da família – mas que tende também a ser um festim de desperdício alimentar e de consumos (e gastos) exagerados.

A luta pelo planeta não tira férias e a época natalícia não tem de ser exceção, já que há formas de celebrar enquanto se ajuda o planeta e não se afeta tanto a carteira.

Da escolha da árvore de Natal às decorações, passando pela ementa da consoada e pelos embrulhos dos presentes, a mudança arranca entre quatro paredes – mas há que saber por onde começar. Para que a falta de criatividade não seja desculpa para não se ajudar o

1. Artificial, natural ou criativa: qual a melhor árvore?

Podemos trocar de sofá, alterar a disposição dos móveis ou até albergar um cemitério de livros nas prateleiras da sala, mas há sempre um cantinho reservado para a árvore de Natal. 

Há quem compre um pinheiro verdadeiro e quem use árvores artificiais. Mas qual das opções é mais (ou menos) prejudicial ao planeta? Na verdade, depende. Passamos a explicar.

Se é certo que a produção de uma árvore de Natal artificial tem um maior impacto na emissão de dióxido de carbono, é igualmente verídico que a sua sustentabilidade é proporcional ao tempo que a vamos utilizar.

Segundo a Universidade de Aveiro, a utilização de uma árvore de Natal artificial, feita de plástico, poderá ser uma escolha bastante sustentável se a reutilizarmos por, pelo menos, dez anos.

Há alternativas mais sustentáveis, que não implicam gastar um cêntimo e que vivem, única e exclusivamente, de materiais reciclados.

Com escadotes, livros ou até colagens, o truque está em ser criativo. E, às tantas, arranjar uma árvore de natal alternativa torna-se ainda mais divertido do que decorar um pinheiro natural tradicional – já que pode (e deve) envolver toda a família.

No entanto, caso se queira efetivamente optar por uma árvore natural, pode-se alugar um pinheiro, seja em segunda mão (de uma outra família) ou de projetos como o Pinheiro Bombeiro, uma iniciativa da startup portuguesa Rnters.

Este projeto permite-lhe alugar um pinheiro enquanto mantém os terrenos limpos, previne os incêncios e ajuda os Bombeiros Voluntários Portugueses após a época natalícia, pode devolver o pinheiro à Rnters, que o transforma em biomassa.

2. Puxa pela criatividade: usa desperdícios como enfeites de Natal

Com a árvore de Natal escolhida, já podes começar a pensar em decorações – que não têm necessariamente de passar por fitas e bolas de plástico ou por luzes cintilantes de alto consumo.

Primeiro, importa remexer no baú e procurar decorações mais antigas. Já que são vintage, não implicam gastos extra e o ambiente agradece.

Mas também podemos ser criativos. As cápsulas de café usadas podem funcionar como autênticos enfeites natalícios.

Para isso, podes recorrer às cápsulas de café Boundi, da Nestlé, que devem ser esvaziadas do seu conteúdo, lavadas e, depois de furadas, fazem bem o efeito das bolas das árvores.

A estrela de Natal pode ser feita usando cartão das caixas do Nestum ou dos cereais Nestlé, por exemplo. Com recurso a formas, podes criar também anjos ou outras figuras natalícias. Com ou sem tintas.

Quanto à iluminação, também podes ser sustentável na escolha das luzes de Natal. Para isso, basta optares por um sistema de luzes LED com transformador de baixa tensão. Neste caso, se o isolamento dos fios condutores se danificar, não corres o risco de apanhar um choque elétrico.

Esta opção tende a ser mais cara, no entanto revela-se mais duradoura e, acima de tudo, segura.

3. Esquece o papel de embrulho

Já podes embrulhar os presentes sem gastar um cêntimo. Para isso, basta explorar a despensa e perceber que tipo de materiais se adequam ao embrulho que procuras e à dimensão do presente.

Podes dar uma nova vida aos jornais, revistas, panfletos e até embalagens de cereais que tenhas em casa – dos Cheerios aos Chocapic, passando pelos Crunch ou até pelas Estrelitas.

Caso não queiras abdicar do embrulho tradicional, podes reutilizar o papel de prendas que tenhas recebido anteriormente e aproveitar a dica para guardar o papel de embrulho dos presentes que ainda vais receber este Natal.

Independentemente do que escolheres utilizar – papel de embrulho tradicional ou materiais reciclados –, importa que faças a separação dos diferentes resíduos e os encaminhes para reciclagem, utilizando os ecopontos correspondentes.

Já que a época natalícia (ainda) tende a ser sinónimo de consumo em massa, o ideal é que guardes os resíduos não orgânicos (como papel, cartão ou laços) em casa para reaproveitar em anos seguintes e aqueles que não puderes aproveitar espera alguns dias antes de os depositar – assim, evitas a acumulação de lixo nos contentores.

4. Presentes amigos do planeta (e da carteira)

Descartada a questão dos embrulhos, resta perceber como podes ser sustentável na escolha dos presentes. Mas tudo depende do teor da prenda que queres dar.

Podes optar por oferecer experiências. Subscrições de revistas ou jornais, cursos online, ou optar por promover a economia nacional oferecendo jantares ou atividades em museus ou de projetos locais.

Se quiseres oferecer comida, podes optar por produtos nacionais e, se possível, de produção responsável – assim, para além de estares a ajudar o planeta, estás também a contribuir para a economia do País.

Se optares por artigos de beleza, estética, cosmética e higiene pessoal, considera oferecer marcas locais ou marcas que tenham a sustentabilidade como parte integrantes da sua missão. Podes ver algumas marcas aqui . Podes também estar atentos aos selos de certificações que as marcas possam ter.

Se optares por oferecer roupa ou artigos de moda, explora marcas portuguesas, desenvolvidas e produzidas por portugueses e que produzem de forma responsável.

Se optares por oferecer produtos tecnológicos e outros gadgets, deves verificar quais as marcas mais seguras e ambientalmente mais sustentáveis.

Até para as crianças, há inúmeras alternativas. Podes começar por explorar as plataformas em segunda mão (e poupar!) para ver se está disponível aquilo que pretendes. Há tanta magia em algo novo como em algo que já traz tantas histórias (e tão importante educarmos as crianças para isso mesmo!) Se tiveres de comprar novo, privilegia marcas de roupa ou de brinquedos portuguesas.

Podes ver algumas sugestões de presentes de marcas portuguesas aqui.

5. Desperdício alimentar? Podes evitá-lo.

Para evitares um Natal com desperdício, antes de ires ao supermercado faz uma lista de todos os produtos que precisas, dando sempre preferência a produtos locais ou nacionais.

Se te deparares com sobras, lembra-te que ainda terás refeições por planear, depois de 24 e 25 de dezembro — as sobras não têm necessariamente de ir para o lixo. Basta seres criativo e descobrires novas receitas nas quais podes reaproveitar as sobras do Natal. Sabias que é possível inovar nos croquetes com as sobras do peru da consoada? Experimenta fazeres esta receita no forno de forma a torná-la mais saudável. Tudo depende dos produtos que tiveres e da tua predisposição para arriscar no universo culinário.

Se os fritos fizerem parte do teu menu de Natal, recolhe o óleo alimentar utilizado nas frituras dos doces e deposita-o para reciclar num ponto de recolha perto de ti.

 
 

também

Sustentabilidade

Para que o teu prato seja equilibrado ao nível nutricional, deves ter porções bem definidas de…

Sustentabilidade

Quem adora cozinhar e privilegia alimentos biológicos e de qualidade, conta, na sua cozinha, com…