Saboreia a Vida | Nestlé
Saboreia a Vida | Nestlé

SOCIAL

ESPINAFRE

Pensa-se que o Espinafre tenha tido origem na antiga Pérsia, actual Irão. Foi transportado para a China, no século VII, quando o rei do Nepal o enviou como oferta para este país.
Entre os produtos hortícolas, o Espinafre é o mais recente na história da Europa, pois só foi introduzido nos hábitos deste povo no século XI, após os Árabes o terem transportado para Espanha.
O Espinafre foi o hortícola mais apreciado por Catherine de Medici, uma figura histórica do século XVI. Quando esta deixou a sua cidade Natal – Florença – para casar com o rei de França, levou consigo todos os ingredientes que mais apreciava, incluindo o Espinafre, podendo assim, confecioná-lo da forma que mais a deliciava. Desde esta altura, os pratos preparados com Espinafres ficaram conhecidos como “a florentina”.
Pelo fato de este hortícola se desenvolver em climas amenos, os maiores produtores de Espinafres, a nível mundial, são os Estados Unidos da América e a Holanda.

O Espinafre pertence à espécie Spinacia olerace e à família da acelga e beterraba – Amaranthaceae, partilhando, por este motivo, semelhanças no sabor destes dois hortícolas, pois exibe a amargura da beterraba e sabor levemente salgado de acelga.
Esta hortaliça crua apresenta, também, um sabor levemente doce que pode ser muito cativante em saladas, contrastando com o sabor ácido que é realçado após cocção. 
O Espinafre fresco conserva uma textura delicada e cor verdejante que são perdidas quando o Espinafre é processado ou confecionado.
Existem três tipos diferentes de Espinafres: Espinafre Sabóia que é crestado, apresenta folhas parcialmente dobradas e textura elástica; Espinafre Semi-sabóia, semelhante ao Sabóia mas não tão enrugado; e, Espinafre Bebé com folha lisa e plana, em forma de pá, sendo ideal para saladas devido ao seu sabor e textura. 


INFORMAÇÃO NUTRICIONAL

O Espinafre é uma hortaliça com elevada densidade nutricional, pois oferece simultaneamente baixo valor energético e elevado teor vitamínico e mineral. Destacam-se os teores das vitaminas A, B2, B6, C, E, K e folatos e dos minerais magnésio, ferro, cálcio, potássio, fósforo. É também uma fonte considerável de fibra alimentar.


Tabela de composição nutricional (100 g de Parte Edível)

 

Espinafres Crús

Energia (kcal)

22

Água (g)

91,8

Proteínas (g)

2,6

Lípidos (g)

0,9

Hidratos de Carbono (g)

0,8

Fibra (g)

2,6

Vitamina A (µg)

550

Vitamina B2 (mg)

0,18

Vitamina B6 (mg)

0,17

Folatos (µg)

150

Vitamina C (mg)

35

Vitamina E (mg)

1,7

Vitamina K (mg)

471

Magnésio (mg)

54

Cálcio (mg)

104

Ferro (mg)

2,4

Fósforo (mg)

45

Potássio (mg)

417


mg = miligramas. µg = micrograma. Parte Edível = diz respeito ao peso do alimento que é consumido depois de rejeitados todos os desperdícios. A vitamina A é representada como “equivalentes retinol). A vitamina E é representada como “equivalente-tocoferol”.
Fonte: Porto A, Oliveira L. Tabela da Composição de Alimentos. Lisboa: Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge. 2006.


VANTAGENS E DESVANTAGENS
 
A reunião de vários trabalhos que analisaram o perfil nutricional dos Espinafres, identificou a existência de inúmeros compostos antioxidantes com propriedades anticarcinogénicas, destacando-se neste grupo os flavonóides. 
O Espinafre é um grande fornecedor de nutrimentos essenciais à manutenção da saúde óssea, como vitamina K, magnésio e cálcio. A vitamina K auxilia na prevenção da ativação excessiva dos osteoclastos (células que promovem fraturas ósseas) - principalmente a vitamina K1. Além disso, a população microbiana benéfica no intestino converte vitamina k1 em k2, o que ativa a osteocalcina (maior proteína não colagénica dos ossos), que promove a fixação do cálcio nos ossos. O magnésio, além de contribuir para a saúde óssea, também intervém favoravelmente na diminuição dos níveis de pressão arterial e na proteção contra o desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

O Espinafre é um alimento importante na prevenção da aterosclerose, pois graças à sua riqueza em vitamina A (sob a forma de beta-caroteno) e C, dois potentes antioxidantes, reduzem a ação dos radicais livres, prevenindo a oxidação do colesterol nos vasos sanguíneos.
O Espinafre é também rico em folatos que intervêm na conversão de homecisteína (molécula cujos níveis elevados podem levar a acidente vascular cerebral e ataque cardíaco) em moléculas benígnas.

Beta-caroteno, vitamina C e K apresentam também propriedades anti-inflamatórias.
A luteína, um carotenóide com efeito protector contra patologia oftalmológica, encontra-se em hortaliças de folha verde escura, nas quais se incluem o Espinafre.
Este hortícola representa uma excelente fonte de ferro, um oligoelemento integrante da hemoglobina que transporta o oxigénio dos pulmões para todas as células do corpo. Integra, ainda, os principais sistemas enzimáticos para a produção de energia.
No entanto, a bio-disponibilidade deste nutrimento corresponde apenas a 30%, podendo ser maximizada na presença de vitamina C, por exemplo, através da adição de sumo de limão ou kiwi.

O Espinafre contém quantidades consideráveis de oxalatos, um anti-nutrimento que pode interferir com a absorção de cálcio proveniente da dieta.
No perfil nutricional do Espinafre destaca-se, ainda, o teor em purinas, cujas ingestões excessivas podem aumentar os níveis plasmáticos de ácido úrico.
O Espinafre é um alimento comummente associado a reações alérgicas, por esta razão, não deve ser ingerido cru e de forma isolada, pois este procedimento pode potenciar a reacção alérgica.


COMO COMPRAR E CONSERVAR

O Espinafre está disponível no mercado durante todo o ano, embora as principais épocas de produção sejam principalmente entre os meses de Março e Maio e entre Setembro e Outubro. Nesta altura este hortícola é mais fresco e apresenta sabor mais apetecível.
Selecione o Espinafre que apresente folhas com coloração verde intensa, que exiba um aspecto fresco e macio. Evite Espinafres que apresentem caules com sinais de amaralecimento, folhas murchas, não íntegras e com revestimento viscoso, pois estes são sinais de velhice. 
Para o conservar, acondicione-o, bem embalado, em sacos de plástico, no frigorífico. Desta forma, o Espinafre será conservado em boas condições durante 5 dias. Contudo, antes de o conservar no frio, não o lave, pois a humidade irá acelerar o processo de envelhecimento.
Por outro lado, quando o manipular com o intuito de o ingerir, lave-o muito bem, pois o Espinafre tende a recolher areias e poeiras do solo.
Após a confeção, não guarde os Espinafres cozidos, uma vez que os mecanismos de conservação naturais são destruídos durante a cocção.

Conheça receitas com este alimento em Nestlé Cozinhar.
PARTILHAR 21 LIKES

Sugestões