Sustentabilidade
Sustentabilidade

Da varanda para a panela. Dicas essenciais para criares uma horta no teu T2

Quem adora cozinhar e privilegia alimentos biológicos e de qualidade, conta, na sua cozinha, com ingredientes frescos e só com aditivos naturais. É que além de serem ingredientes mais saudáveis (uma vez que não levam químicos), oferecem a possibilidade de serem colhidos na hora o que torna o prato mais fresco.

As feiras locais são uma grande oportunidade de adquirir ingredientes com menos ou nenhum aditivo. O problema é que se tornam produtos mais caros, pela produção em menor quantidade e, muitas das vezes, vendidos em horários poucos flexíveis para quem tem sempre mil e uma coisas a acontecer ao mesmo tempo.

A solução, portanto, pode passar por apostares em hortas particulares que te permitam ter alguns desses ingredientes à distância de cinco passos até à varanda. E não, não precisas de viver numa grande moradia ou ter um terreno de hectares. Basta adaptares a área que pretendes usar para a plantação de acordo com o teu espaço e as condições de que dispões.

Tal como em qualquer outra horta, existem alguns aspetos a ter em conta: local de cultivo, o número de horas de exposição solar (para o processo de fotossíntese), a disponibilidade de água para regar ou, por exemplo, a existência de sombras.

Só depois de conheceres todas estas características é que podes decidir a viabilidade de uma horta e as ervas aromáticas ou hortícolas em que deves apostar. Tudo isto, claro, dentro de casa.

Sustentabilidade

Para facilitar o processo, damos-te algumas dicas:

  • Procura um lugar onde a exposição solar ronde as quatro horas diárias e evita zonas muito expostas ao vento (porque seca mais facilmente a terra);
  • Se a zona onde tens espaço para a tua horta oferece poucas horas de luz, então talvez devas apostar na plantação de hortícolas como a alface, a rúcula, o agrião ou o espinafre, que se adaptam a ambientes de pouca luminosidade;
  • Na hora de selecionares o solo para cada planta, procura uma terra fértil e rica em matéria orgânica e de pH neutro. Para o adubo, podes utilizar restos de alimentos: cascas de ovo (uma fonte de cálcio que oferece uma boa cobertura ao solo), borras de café (aumenta a acidez dos solos) e cascas de banana (dá potássio, fósforo, cálcio e magnésio ao solo).
  • O recipiente onde colocas a planta deve ser adaptado ao tamanho da planta e da raiz. Usa isto como regra: quanto maior for a planta, maior deve ser o vaso. Quanto aos materiais, podes escolher entre barro, plástico, porcelana, metal ou reutilizar a base de uma garrafa de água ou até de uma lata.

As hortas verticais, tal como o nome indica, distinguem-se pela forma como estão posicionadas — na vertical, penduradas ou fixas em estruturas verticais, como por exemplo, uma parede da varanda. São uma opção para quem vive em apartamentos ou casas com terraços pequenos, mas quer manter e cultivar alguns produtos.

Se queres criar a tua horta vertical, deves investir em hortícolas como a alface, a rúcula, brócolos, espinafres, acelgas e rabanetes, e nas frutas, em frutos vermelhos como morangos e mirtilos.

 
 

também

Sustentabilidade

Para que o teu prato seja equilibrado ao nível nutricional, deves ter porções bem definidas de…

Sustentabilidade

Da árvore aos embrulhos, Natal não tem de ser sinónimo de lixo em excesso e gastos exagerados. Já o…