Saboreia a Vida | Nestlé
Saboreia a Vida | Nestlé

SOCIAL

ALIMENTAÇÃO NA GRAVIDEZ

As grávidas são um grupo de risco no que diz respeito às toxinfecções alimentares e por isso a alimentação na gravidez deve respeitar alguns cuidados. Entre as infeções mais comuns, encontram-se as toxinfecções provocadas por Listeria monocytogenes, por algumas espécies de Salmonella e pelo parasita Toxoplasma gondii, sendo responsáveis pelo desenvolvimento das seguintes patologias: listeriose, salmonelose e toxoplasmose, respetivamente.

As toxinfecções alimentares são difíceis de detectar através da aparência, cheiro ou sabor dos alimentos, porque estes habitualmente não apresentam alterações.

A listeriose é uma patologia que pode ser fatal para o feto ou bebé e por essa razão é muito importante saber que tipo de alimentação deve ter na gravidez. A Listeria monocytogenes encontra-se habitualmente em alimentos crus (carne, leite não pasteurizado, queijo de pasta mole, patês, gelado de natas, peixe fumado, hortícolas, refeições pré-preparadas, saladas, quiches, tartes frias de carne) e alimentos cozinhados que sofreram contaminação após processamento. A Listeria monocytogenes pode-se multiplicar a temperaturas de refrigeração (0 – 8ºC). A probabilidade de uma grávida ser contamina por esta bactéria é 20 vezes mais elevada do que a dos outros adultos.

A salmonelose pode causar febre, cólicas, diarreias que se manifestam 12 a 36 horas após consumo do alimento contaminado, aborto espontâneo e parto prematuro. A Salmonella é transmitida através da ingestão de alimentos contaminados com fezes de animais, alimentos de origem animal, como ovos, leite, carne de aves, ovinos e suínos e também maionese caseira e alimentos manipulados. Estes alimentos devem ser muito bem cozinhados e separados dos crus.

Os adultos com toxoplasmose não apresentam sintomatologia quando infetados. Se uma mulher for infetada durante a gravidez, o risco para o desenvolvimento do embrião e do feto é considerável, uma vez que pode provocar malformações, atraso no crescimento, danos cerebrais e oculares. A contaminação é mais comum através do contacto com gatos, cães e seus dejetos, e através da ingestão de alimentos mal cozinhados como a carne mal passada. É importante que a mulher esteja informada para que possa cuidar da sua alimentação durante a gravidez.

De forma a evitar a contaminação com estas bactérias e parasitas e a ter uma adequada alimentação na gravidez, devem ser adotados os seguintes Hábitos de Higiene e Segurança Alimentar:
• Lavar muito bem as mãos antes das refeições;
• Desinfectar todos os alimentos antes do seu consumo, particularmente os que se ingerem crus;
• No supermercado, adquirir os alimentos perecíveis (carne, peixe, fiambre) e congelados em último lugar. Transportá-los em sacos térmicos até ao frigorífico/congelador de casa;
• Cozinhar muito bem os alimentos, especialmente a carne e ovos, durante o tempo mínimo de 15 a 20 minutos a 70ºC; 
• Lavar bem os frutos e descascá-los;
• Evitar o consumo de ovos crus que surgem em inúmeros pratos, como maionese caseira, molho holandês, mousse; 
• Evitar enchidos: alheira, chouriço, presunto, farinheiras... 
• Descongelar os alimentos no frigorífico, excepto nos casos em que o fabricante do produto o contra-indique. Nunca em água quente ou água fria corrente; 
• Reaquecer bem as refeições já cozinhadas até ficarem fumegantes;
• Evitar a exposição de alimentos ao ar, pois correm o risco de serem contaminados por insectos que propagam toxoplasma;
• Lavar muito bem os utensílios de cozinha (tábuas, talheres…) após a sua utilização.

PARTILHAR 19 LIKES

Sugestões