Saboreia a Vida | Nestlé
Saboreia a Vida | Nestlé

SOCIAL

MODERE O SAL, GANHE SAÚDE!

O sal faz parte do dia-a-dia do Homem desde a Antiguidade. Era utilizado não só para realçar o sabor dos alimentos mas também na sua conservação, muito antes dos atuais processos. E apesar de todos os avanços nessa área, os alimentos secos e salgados mantêm-se até hoje presentes na nossa gastronomia.

No Império Romano o seu valor era tal que servia de moeda de pagamento aos soldados o que originou o termo salário.  

O que é o sal?

A substância cristalina que conhecemos como sal é composta por dois elementos químicos: o sódio e o cloro. Ambos são minerais importantes para a nossa saúde desde que consumidos nas quantidades adequadas.

Curiosamente, é ao cloro que se deve o sabor salgado mas é o sódio que mais problemas de saúde pode causar, quando ingerido em excesso.

Quais as principais fontes de sódio da nossa alimentação?

Mais de 70% do sódio que ingerimos diariamente provém de alimentos processados alguns dos quais nem nos parecem salgados como o pão, algumas bolachas e conservas.

Cerca de 20% do sal ingerido diariamente é adicionado na confeção de refeições e os restantes 8% estão naturalmente presentes nos alimentos como legumes, carnes e peixes.

Sal: não mais de 5g por dia!

A Organização Mundial de Saúde recomenda que o consumo de sal para a população em geral, desde que saudável e ativa, não ultrapasse os 5g por dia, o que equivale a uma colher de café cheia de sal.

Consequências do consumo excessivo de sal

A ingestão continuada de valores excessivos de sódio traduz-se em diversos problemas de saúde que atualmente afetam um elevado número de pessoas em Portugal e no mundo em geral:

  • Aumento do risco do aparecimento de determinados tipos de cancro (ex.: estômago);
  • Aumento do risco de hipertensão arterial;
  • Risco aumentado de doenças cardiovasculares;
  • Sobrecarga do funcionamento renal (há um maior esforço feito pelo rim para excretar o excesso de sódio);
  • Maior retenção de líquidos pelo organismo, o que implica aumento do peso e contribui para o aparecimento de celulite.

Algumas dicas para reduzir a ingestão de sal:

  • Modere a ingestão de alimentos salgados, processados e pré-preparados;
  • Compare (através da leitura dos rótulos) os alimentos processados, optando pelos de menor teor de sal:
  • Reduza o teor de sal na confeção dos alimentos;
  • Substitua o sal por ervas aromáticas ou especiarias;
  • Não leve o saleiro para a mesa;
  • No restaurante, peça que o seu prato seja preparado com menos sal;
  • Se são pratos com molhos, peça que sejam servidos em separado, para que possa gerir a quantidade que ingere.


Tendo em consideração a cultura gastronómica portuguesa, muito habituada ao sal, pode parecer difícil reduzir esse elemento na nossa alimentação.

No entanto, o paladar pode ser reeducado, com reduções progressivas do teor de sal para que não seja tão notória essa diferença. 

E muito importante: essa educação deve começar desde bem cedo, aproveitando as recomendações pediátricas de não adicionar sal à alimentação dos bebés no primeiro ano de vida. Porque não continuar?

Sabia que: Os portugueses consomem cerca de 12g de sal por dia, mais do dobro da recomendação da Organização Mundial de Saúde.

PARTILHAR 104 LIKES

Glossário

Sugestões