Saboreia a Vida | Nestlé
Saboreia a Vida | Nestlé

SOCIAL

OVOS E CORAÇÃO. UMA LIGAÇÃO SURPREENDENTE

Estamos sempre a aprender. E os estudos científicos podem sempre surpreender. Recentemente a ciência veio desmentir aquilo que há muitos anos se acreditava: os ovos, incluídos numa alimentação equilibrada, fazem bem à saúde e podemos comer até cinco por semana. Graças às novas descobertas científicas, o ovo passou a ser considerado um dos melhores alimentos naturais para quem não sofre de doenças metabólicas. Apresenta uma elevada riqueza nutricional e tem fortes propriedades antioxidantes. Possui proteínas de elevado valor biológico, semelhantes às do leite, e grandes quantidades de vitaminas e sais minerais.

 

Prevenção de doenças

É verdade que os ovos contêm um elevado teor de colesterol. Contudo, as novas evidências indicam que não existe uma ligação direta entre o consumo de ovos e a subida dos níveis de colesterol sanguíneo. E os benefícios de os comer são inúmeros.

A luteína e a zeaxantina, por exemplo, dois dos fitoquímicos mais estudados na gema do ovo, parecem ajudar a prevenir a degeneração macular relacionada com a idade (DMRI) e também as cataratas, devido à sua composição em antioxidantes. A presença de fitosteróis com potenciais benefícios para a saúde, tal como as isoflavonas existentes na soja, também tem sido verificada na gema de ovo.

Estes compostos fenólicos, também presentes em grãos de cereais, frutas e legumes, são importantes antioxidantes que desempenham um papel preventivo no desenvolvimento de muitas doenças crónicas, como o cancro e as doenças cardiovasculares.

O que sustenta a mudança

Neste âmbito, podemos citar um estudo elaborado por investigadores americanos da Universidade de Alberta, nos EUA. Foram analisados os ovos produzidos por galinhas alimentadas com dietas típicas de trigo ou milho, tendo sido encontrados dois aminoácidos com altas propriedades antioxidantes, o triptofano e a tirosina. Os cientistas determinaram, então, que duas gemas destas galinhas poderão conter quase o dobro da capacidade antioxidante de uma maçã e quase o mesmo que 25 g de morangos. Todas estas descobertas consideram o ovo cru. Os investigadores concluíram que, quando cozinhados, muitas das propriedades antioxidantes dos ovos são reduzidas a metade o que não deixam de colocar este alimento entre os mais saudáveis.

 

Encontre aqui mais informações sobre o ovo.

PARTILHAR 16 LIKES

Sugestões